Tem gente que chama de short fic, outros que chamam de fanfic, outros que falam que eu to ‘viajando’, mas na verdade eu chamaria que desabafo. Quero dizer, nem sei se essa é a palavra certa também, mas é um tipo de demonstrar o que eu queria que acontecesse (?), é, deve ser isso. Enfim… esse texto fui eu mesma que fiz assim que veio a inspiração -aeaeae- e já era de madrugada, só que eu levantei e fui escrever, não poderia perder essa chance! (:  Comentem e digam o que acharam. Bjs ;*

           Uma gota de lágrima desabou do meu olho direito e escorregou lentamente pelo meu rosto. Foi então quando ele perguntou:

            – Você está bem?

            Sim, eu não poderia estar me sentindo melhor, aquela lágrima representava toda a explosão de felicidade dentro de mim por estar ali com quem eu sempre sonhei. Uma simples e discreta mas ao mesmo tempo furiosa explosão de felicidade junto com uma mistura de sentimentos inexplicáveis.

            Eu apenas sorri para que ele tivesse certeza de que eu estava bem. Ele entendeu o sinal e sorriu enquanto olhava em meus olhos de uma maneira encantadora.

            – Desculpa falar dessa maneira, mas eu não consigo mais guardar isso só para mim. Joe eu te amo, eu só preciso estar ao seu lado para me tornar a garota mais feliz desse mundo, ninguém nunca conseguirá completar o seu lugar que existe dentro de mim, ele é seu, apenas seu. Por favor, não faça eu ter que te dizer adeus, eu não suportaria. – Minha voz estava trêmula e parecia que eu não tinha mais controle sobre mim, tudo o que eu falava e fazia era total influência dele.

            – Você nunca vai precisar dizer adeus, confie em mim. – Ele parecia tão seguro e tão certo do que estava dizendo que eu pude ter certeza, a culpa era toda dele, ele tinha sem dúvida roubado todo o meu autocontrole. Agora, pertencia totalmente a ele.

            – Por que não? – Perguntei.

            – Porque a partir de agora eu pertenço a você, e você me pertence. Nunca me senti assim antes e tenho certeza que você é a pessoa que sempre procurei.

            Foi então quando ele enxugou aquela lenta lágrima que naquele momento já estava ao lado da minha boca. Colocou um dos braços na minha cintura de um jeito aconchegante, e só dessa maneira eu consegui me manter em pé porque meus joelhos também não me obedeciam mais. A outra mão, a da lágrima, permanecia ao meu rosto, uma mão quente e segura, como nenhuma outra. Ele se aproximou como se o tempo tivesse parando, encostou seus lábios nos meus, e então fechei meus olhos e não conseguia pensar em mais nada, afinal eu pertencia somente e completamente a ele naquele momento. O beijo não poderia ter sido mais especial, a minha impressão era que nossas bocas davam choques todas as vezes que se encontravam.

            Quando finalmente nos afastamos percebi que ele também tinha uma lágrima em seu rosto, e ela continha toda aquela mesma explosão de felicidade, que só quem realmente ama, consegue sentir.