Não. Ele não vai chegar num cavalo branco, e você não vai estar de vestido longo rodado: ele vai chegar de avião ou de carro, e você vai estar de jeans, regata e All Star. Ele não vai beijar sua mão: vai pedir seu MSN. Ele não vai fazer uma serenata: vai te mandar um link para você ler a letra de uma música. Ele não vai te dar um buquê de rosas: vai te pagar uma bebida. E isso significa que ele se importa com você. E não, isso não é um problema: esse é o jeito de mostrar que gosta do século XXI. Se esse cara for assim, ele é um cara que realmente gosta de você. O problema só surge quando há plural: existem dois caras que são assim com você. E agora? Pra quem eu passo meu MSN? É normal apaixonar-se por dois ao mesmo tempo. Ou melhor: é normal achar estar apaixonada por dois, porque na verdade nós gostamos apenas de um. O que acontece é que queremos nos sentir desejada pelos dois. Sabemos que ficar sem um deles significa a morte lenta de um pedacinho do nosso coração, mas é preciso deixar morrer. Elogios e carinhos espontâneos respondem 50% da pergunta: qual deles é o príncipe? Sentar ao seu lado apenas para dar “bom dia”, passar por você no corredor da escola e olhar nos seus olhos sorrindo, fazer uma coisa que não gosta (por exemplo: o cara não gosta de Twitter e faz um só para te seguir) por você, ficar meio cambaleando ao andar quando passa por você e até perder o rumo do caminho: atitudes banais e traços reais de um cara apaixonado. Esse é seu príncipe. Mas espere: os dois fazem isso? A realidade é que um, com toda certeza, está mais interessado. Um deles vai ganhar essa luta porque além da sinceridade das atitudes desse cara, você inconscientemente sabe quem te dá mais valor. Não tem erro: um deles te assume mais do que o outro. Um deles fala mais de você com os amigos: o outro desliga o telefone antes de dizer com quem estava falando. Um deles não quer mudar nada em você: o outro nunca te acha suficiente. É difícil escrever sobre algo que é puro sentir, entrar em contato. Sabemos quem realmente gosta da gente. Falsidade não sustenta sorriso por muito tempo. Paz interior vem de quem sentimos que gosta da gente. É difícil nos enganarmos quando há dois para colocarmos na balança. E quem é o príncipe? É aquele que te trata não como princesa, mas como rainha!

créditos: http://www.depoisdosquinze.com

xxx