Depois das comemorações em família e da farta comilança (que será recompensada com várias corridinhas “pós-férias”), só nos resta neste restinho de ano aquele velho hábito de contabilizar nossas coisas mais malucas: quantas amizades fiz e desfiz? Quantos textos postei em meu blog? Em quantas baladas fui? Quantos beijos dei? Quanto juntei de mesada? Ai, preciso de mais uma folha, faltou uma: QUANTAS PESSOAS AJUDEI?

Muitas vezes enquanto nos preocupamos com pequenas inquietações (como aquelas de ficar olhando de dois em dois minutos pro celular esperando por mensagens de texto), enquanto nas esquinas há gente vivendo em condições realmente desumanas, procurando nada além de um abrigo, e digo isso me referindo a braços e abraços que lhe ofereçam segurança e esperança.

Será que é difícil se desfazer de algumas peças de roupa que por tantos anos nos protegeu do vento? Será que é impossível enxergar nas roupas rasgadas e nas unhas sujas a sinceridade e um recomeço?

A verdade é que muitas vezes desviamos grande parte do nosso amor ao espelho. A verdade é que cobramos fraternidade, mas não espalhamos, involuntariamente, aquela que reside em nós.

Então, o meu pedido de fim de ano não será pular ondas, muito menos comer sementinhas fazendo desejos: convido vocês a sentirem a sensação de caridade, onde qualquer caráter torna-se belo e qualquer coração passa a ser puro. Maior que isso é o amor sendo manifestado e transmitido. Ação e reação. Dê para esperar e então, receber.

Mostre-se contrária ao excesso e perceba que a beleza das coisas, até mesmo as materiais, está na finalidade delas. Experimente!

Para finalizar, esses dias ouvi de uma amiga que se os ovos de páscoa não viessem embrulhados em vários papeis, eles não seriam tão gostosos. Pois bem: o meu desejo para 2011 é que todos os momentos cheguem tão embrulhados quanto os ovos de páscoa e que vocês saboreiem cada um deles com as mesmas expectativas de quando rasgaram a embalagem! Sonhem, realizem! Não percam o brilho e a fé!

Se percam pra se encontrarem e caiam para aprenderem a levantar.

Encontrem vários amores da vida de vocês! Amem, amem, amem!

Quando aprendemos a compreender o que devemos amar, notamos que o nosso amor, em essência, é contínuo e não tem fim.

Um grande beijo e um feliz ano novo!

 

http://www.depoisdosquinze.com