Sou uma espécie de incômodo. Quando apareço, fecham os olhos. Quando falo, tapam os ouvidos. Quando quero ouvir, se calam. Quando quero pedir, viram as costas. E quando viro as costas, a culpa é minha.

Lembrem-me disso amanhã.

xxx